Sobre o Tempo de Creche Educação

O Tempo de Creche é um ambiente virtual, independente e autoral, de compartilhamento de saberes pedagógicos e de diálogo, criado com a determinação de contribuir com a formação e aperfeiçoamento da prática pedagógica de profissionais da educação infantil.

É um projeto que nos envolve e alimenta. Somos Joyce M. Rosset, Ângela Rizzi e Maria Helena Webster, três autoras com atuação nas áreas da Educação e Cultura.

Chegamos em 2014 com uma boa bagagem de saberes e estratégias a respeito da formação de educadores e de sistematização de metodologias de ensino. O que fazer com esse conhecimento? Como envolver um público maior nas nossas formações? Percebemos que as mãos eram poucas para atingir as necessidades e desejos dos professores!

Também, em nossas jornadas formativas, escutávamos a perturbadora solicitação de professores e coordenadores: “vocês têm um modelo para eu trabalhar com as minhas crianças?” ou “Podem indicar conteúdo para a coordenação trabalhar com os professores?”.

Tecendo novas interações

Depois de muito pensar… descobrimos o alcance dos ambientes digitais e a simplicidade das ferramentas dinâmicas e dialógicas dos blogs. A partir daí, mergulhamos na construção de uma linguagem adequada para conversar sobre educação com os nossos leitores. Definimos uma organização não linear e não sequencial, rizomática. Selecionarmos conteúdos pertinentes a diversos contextos e buscamos a melhor forma de dialogar com um número maior de professores. Assim surgiu o Tempo de Creche Educação.

É a diversidade de contextos, olhares e estratégias que transforma professores em autores de sua prática e enriquece os conteúdos publicados. O filósofo Gilles Deluze propõe um caminhar livre por entre saberes. Ele reforçou nossa crença de que qualquer ponto pode ser um começo. Não há necessidade de um início único para deflagrar uma ação. Isto nos levou a compreender que uma proposta não pode ser fechada nela mesma, não pode ser absoluta, porque contexto e repertório são pessoais e fundamentais para a prática pedagógica. Cada professor é singular e assim também é a sua turma.

Por isso, se o professor deseja modelo de atividade, propomos caminhos de reflexão. Se o professor pede orientação, propomos estratégias abertas ao contexto. Se o professor solicita fundamentação, fornecemos várias vozes. Quando o professor parece estar no piloto automático, apresentamos questionamento e inovações.

Ângela Rizzi, Maria Helena Webster, Cibele Racy (EMEI Nelson Mandela, SP), Joyce M. Rosset

Convidamos você a participar deste diálogo!

Cadastre-se gratuitamente no site, curta nossa página do Facebook e do Instagram e receba avisos das publicações por e-mail e nas redes sociais.

Copie os textos, faça download dos nossos materiais, compartilhe as postagens, comente, critique, pergunte e use os conteúdos e os canais de diálogo para estudar, refletir, se questionar e aprender. Só não esqueça de colocar as referências e indicar a autoria do Tempo de Creche!

Depoimentos

  • “Nem tudo era do jeito que eu achava.”
  • “(a formação fez) mudar meu jeito de ver as coisas.” 
  • “Modificou minhas atitudes, meu olhar em relação às crianças”
  • “Aprendi muito além de abrir minha mente, os encontros abriram portas para o mais conhecimentos”

Saiba mais sobre nós acompanhando nossa página no Facebook!

Ou fale conosco pelo e-mail [email protected]

23 comments

Ola meninas….
Estou o amando os textos que já li.Sou Coordenadora Pedagógica de uma Escola Infantil em Porto Alegre.
Ontem tivemos reunião de formação com Secretaria municipal de educação e elas nos passaram o site de vocês.Parabéns.

Boa noite! Meu nome é Maria Rosângela, trabalho a catorze anos na Educação Infantil, sinceramente amo a minha profissão, trabalhar com as crianças para mim é uma terapia. Por isso eu estou sempre pesquisando, fazendo cursos que possam acrescentar algo a minha formação, em prol de colaborar para o desenvolvimento das crianças como um todo. Eu estou amando os textos que já li. Parabéns.

Ola! Vocês saberiam me dizer quais escolas/berçarios em São Paulo utilizam a abordagem de Emmi Pikler? Obrigada

Olá, Ligia. Sabemos que a Escola Ateliê Carambola, em São Paulo, utiliza a abordagem de Emmi Pikler como inspiração do trabalho no berçário, como também outras escolas. Abraço.

Muito bacana o blog Parabénssss. Gostaria de informações sobre as formações que vocês realizam.
abraço!
Elisângela

Boa tarde!!
Sou professora de um Espaço de Desenvolvimento no Rio de Janeiro e fiquei muito feliz em encontrar esse blog… Estamos trabalhando com a história “A Incrível viagem do barquinho de papel” e muito realizadas com o que estamos colhendo de aprendizagem.
Obrigada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.