Registros e Documentação

Afinal, o que é importante pensar ao elaborar a documentação pedagógica? Antes de responder a esta pergunta, é preciso falar sobre a escuta pedagógica, o registro e a famosa reflexão sobre os registros. Por quê? Porque uma documentação que considera as vozes da criança e do professor necessariamente passa pela qualidade da observação, do registro e da retomada de todas as informações colhidas para o processo reflexivo. Pois é, está tudo tão interligado que ultimamente tenho pensado que uma boa documentação pedagógica é fruto de um processo qualificado de ensino, porque ela é a ponta de um iceberg, que tem uma base gigante que engloba o trabalho pedagógico intencional. Até aqui estamos dando voltas sem chegar à prática, não é mesmo?É que sendo a documentação o resultado de uma prática de ensino qualificada, é preciso ter clareza sobre: Quem estamos educando – uma criança passiva, cuja participação está em participar…

Leia mais

Registro individual

Vamos conversar sobre o registro individual das observações que fazemos das crianças? Mas… por que é importante fazer um registro particular de cada criança? Para que o professor faça uma ESCUTA GENEROSA, é necessário acompanhar os movimentos individuais e coletivos das crianças, e, assim, intervir pontualmente nas necessidades e demandas de cada uma. O avanço do todo – do coletivo – depende dos avanços individuais. O registro pedagógico é, então, um eixo da atuação intencional e qualificada do professor que, ao refletir e avaliar, possibilita embasar suas decisões e planejamentos futuros. Para Madalena Freire, o registro é um ato de consciência que distancia o professor das ações espontaneístas. Registros Individuais e o Relatório Individual Além disso, os registros individuais alimentam os Relatórios Individuais, importante instrumento de avaliação e compartilhamento das trajetórias escolares com as famílias, que são parceiras na missão de educar as crianças. Atualmente, os relatórios individuais são instrumentos…

Leia mais

Por que relacionamos avaliação à crítica “destrutiva”? Talvez o sentimento de incômodo com processos avaliativos tenha raízes na nossa própria história escolar. Mas uma coisa é fato: sem avaliar não progredimos. Sem ter uma visão ampliada sobre a nossa atuação profissional, não nos sentimos alimentados e provocados a evoluir.Então, como a avaliação da prática pedagógica do professor deve ser feita no dia a dia da escola? No curso de Formação Continuada Coordenação Pedagógica: o papel formativo e o acompanhamento das práticas do professor estamos trabalhando a reflexão conjunta e o acompanhamento da prática pedagógica do professor, um tema espinhoso que afeta professores e coordenadores por todos os lados. A avaliação docente é um movimento amplo que inclui o trabalho formativo do coordenador, a constituição de uma equipe pedagógica colaborativa e também um movimento autoavaliativo do professor. Por que essa questão é tão evitada? Como dissemos, a simples menção à palavra…

Leia mais

Como elaborar os relatórios individuais em tempos de escola remota?

Leia mais

Para dar uma devolutiva para as famílias, os professores têm publicado pequenas observações apoiadas num olhar pedagógico sobre o ocorrido. Tudo certo, afinal somos professores e o nosso olhar sempre vêm calçado dos saberes da profissão! No entanto, algumas leituras das fotos são romanceadas e criativas, distantes daquilo que de fato as imagens podem revelar.

Leia mais

Diversas escolas de educação infantil já trabalham à distância há semanas. Estamos trabalhando uma educação à distância ou a escola está ficando distante das crianças e das famílias? O que têm acontecido? Será que no meio da busca insana por atividades e recursos digitais, estamos parando para avaliar cada proposta e o processo como um todo? Percebemos que um poderoso instrumento de avaliação e devolutiva está sendo deixado de lado: a documentação pedagógica. Como está a reflexão e a avaliação? Como está acontecendo a devolutiva com olhar pedagógico para as crianças e os pais? Fico pensando na situação: Eu, mãe/pai, recebo uma proposta de atividade. A professora conversa com a família por meio de um vídeo gravado ou online. Explica tudo direitinho e convida as crianças para experimentarem o proposto. Eu, mãe/pai, me organizo, separo materiais, preparo um ambiente, brinco com meu filho e faço um registro para enviar para a…

Leia mais

Nesta postagem não damos o peixe, ensinamos a pescar: construa seus instrumentos de planejamento, registro e reflexão.

Leia mais

Se cada criança aprende no seu ritmo e a seu modo, como avaliar? Como usar os objetivos de aprendizagem como referências para a avaliação?

Leia mais

É comum chegarmos nas creches para fazer formação nos meses de novembro e dezembro e encontrarmos um cenário de caos:
Nós: olá! Tudo bem? Vamos trabalhar?
Equipe: tudo mais ou menos… estamos malucas com os relatórios! Não sobra tempo para cuidar das crianças da escola e nem para cuidar da nossa casa!
Coordenadoras: vou enlouquecer de tanto ler relatório individual!!!

Resultado: durante 30 dias temos professoras com a cabeça em outro lugar que não as crianças e coordenadoras com a cabeça latejando e bem longe do acompanhamento das práticas docentes. As equipes estão empenhadas em escrever os relatórios descritivos individuais e as coordenadoras com mais de 100 destes documentos para “corrigir”!

Para piorar a cena, ainda escuto que alguns familiares mal leem o documento e confessam que preferiam conversar sobre seus filhos diretamente com a professora.

Reconhece esse ambiente?

Leia mais

Documentação pedagógica é a expressão de um processo de ensino-aprendizagem, direcionado a um público específico. É contar uma “história pedagógica” utilizando recursos que sejam compreendidos pelo público. A narrativa deve deixar evidente a voz e o protagonismo da criança e também as reflexões do professor.  Para compor a narrativa é importante esquecer o que é genérico e ressaltar os acontecimentos e pensamentos característicos do seu contexto: situações que só poderiam acontecer com você, com as suas crianças e na sua escola. Uma boa documentação pedagógica revela as características das pessoas envolvidas no processo.

Assim, para compor a documentação pedagógica é preciso ter objetivos claros sobre o que se quer comunicar (a narrativa de uma atividade, de uma sequência didática ou de um projeto), para quem será feita a comunicação (o público: crianças, famílias, equipe pedagógica ou comunidade) e qual o melhor formato para fazer a comunicação (cartaz, painel, relatório, portfólio, apresentação em PowerPoint etc.).

Organizamos um roteiro para facilitar a primeira etapa da elaboração da documentação pedagógica: juntar informações. Sugerimos reunir os registros, as imagens e as produções das crianças e seguir o roteiro abaixo. A ideia é ir ticando cada item executado no quadradinho à esquerda.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O MATERIAL

Com as informações reunidas e organizadas, e a definição do público para o qual se quer apresentar a documentação, fica mais fácil escolher a forma de expor a narrativa. Leia abaixo:

Leia mais

10/47