Desfralde: um rito de passagem

Desfralde: um rito de passagem

Conversamos com as coordenadoras Priscila Donatz e Marcia Nielsen, do Berçário Les Enfants d’Emilie e do Colégio Emilie de Villeneuve, sobre o desfralde. Gravamos um vídeo, destacamos os aspectos principais sugeridos pelas educadoras e recheamos tudo com inspirações da abordagem de Emmi Pikler para iluminar ainda mais as possibilidades do professor.

♥ Chegou o momento: domino meu corpo e consigo ir ao banheiro!

Assim como andar, falar e deixar de mamar, dominar a ida ao banheiro para fazer xixi e cocô é um degrau do desenvolvimento infantil e uma conquista da criança. Para que o desfralde, ou abandono da fralda, segundo Emmi Pikler, seja tranquilo e feliz para crianças, famílias e escola, é preciso garantir os direitos de aprendizagem e desenvolvimento preconizados na Base Nacional Comum Curricular. Desse modo, longe de ser um momento definido exclusivamente pelo adulto, as possibilidades e desejos da criança são os parâmetros desta jornada.

É na convivência com o adulto responsável e os colegas que o processo deve ocorrer, de forma lúdica, brincante. Ao explorar e conhecer o próprio corpo e os hábitos culturais de higiene, a criança dá passos em direção ao desfralde. Por fim, expressando-se livremente, opinando e indicando suas possibilidades, a individualidade e a intimidade da criança são respeitadas e ela participa ativamente de suas conquistas..

Palavra de…  Priscila Donatz e Marcia Nielsen
Desfralde: A hora chegou?!

Não há regras para o desfralde, porém, a criança deve estar pronta física e emocionalmente para esse processo. Cada criança é única e vai estar pronta quando estiver, algumas crianças estarão prontas a partir de dois anos, outras a partir de dois anos e meio ou mais. Se começar o desfralde cedo demais, o processo pode levar mais tempo e a criança fica desconfortável com a situação. Por outro lado, também pode ser se a criança estiver pronta e demorar muito para iniciar o desfralde (se a criança estiver pronta) também pode ser prejudicial.

→ Detalhes que ajudam a perceber se a criança está pronta.
A criança:

  • Fica com a fralda seca por períodos mais longos, durante o dia?
  • Reclama de fraldas molhadas ou sujas?
  • Demonstra curiosidade ou interesse pelo vaso sanitário ou em usar cuecas ou calcinhas?
  • Entende comandos simples?
  • É capaz de abaixar a calça ou shorts sozinho (a) e levantá-los novamente?
  • Sabe lavar as mãos e puxar a descarga?

  • Tem horário para fazer cocô?
  • Avisa, com palavras claras, que está com vontade de fazer cocô ou xixi antes de fazê-lo na fralda?

→ Dicas para o desfralde:

  • Conversar com as crianças sobre o banheiro, o penico ou vaso sanitário.
  • Se a escola preferir utilizar os adaptadores, não se esquecer de colocar banquinhos para as crianças apoiarem ambos os pés. As crianças não devem ficar com os pés balançando no ar.
  • Colocar o penico no banheiro!
  • Senso de humor e atitude positiva: nada de críticas ou irritação!
  • Celebrar as pequenas conquistas (e as grandes também!).
  • Ficar ao lado da criança enquanto está usando o penico. Conversar com ela de forma descontraída.
  • Depois de almoçar e jantar, criar uma pequena rotina de sentar no penico por pouco tempo. Se perceber que a criança tem um horário para fazer cocô nas fraldas, convidar para que se sente no penico próximo a este horário.
  • Acidentes acontecem, ficar preparado! Encarar com naturalidade e calma, e não associar o fato a retrocessos no percurso. Crianças se distraem e preferem continuar na brincadeira do que ir ao banheiro.
  • O controle dos esfíncteres durante o sono é adquirido mais tardiamente do que quando a criança está acordada. Existem crianças que levam meses ou até anos para amadurecer. Fazer xixi na cama pode ser normal, mas é preciso estar atento a este desenvolvimento.
  • Não comparar crianças, nem mesmo irmãos, em relação à velocidade ou idade do desfralde. Todos, ao seu tempo, deixarão de usar fraldas. Diversão é a palavra chave!   

 Referências: educarparacrescer.abril.com.br/…/como-tirar-fralda-683993.shtml;www.pediatriaemfoco.com.br›Higiene; brasil.babycenter.com/a3400185/como-desfraldar;dicaspaisefilhos.com.br/compras/…/livros-que-ajudam-os-pais-desfralde 

Inspirações da abordagem Pikler

 

 

 

 

  • O abandono da fralda inicia-se no berçário, ao trocar o bebê. É interessante ir pontuando para a criança que ela “está de xixi”, “está de cocô” e que ficará mais confortável com a troca. Não esquecer do olho no olho, de pedir licença para mexer no corpo e de respeitar os movimentos e o “diálogo corporal. Este tipo de conversa ajuda o bebê a tomar consciência sobre o próprio corpo e perceber os mecanismos de excreção.
  • Para ir ao banheiro com autonomia a criança precisa conquistar destreza em alguns movimentos: subir, descer, agachar, levantar, noção espacial, equilíbrio e saltar com os dois pés juntos.
  • Se o abando da fralda depende de características individuais – fisiológicas e emocionais – cada criança precisa ser avaliada e acompanhada na sua singularidade. Assim, o professor precisa:
    • confiar no processo de amadurecimento fisiológico da criança;
    • perceber se a criança está motivada para iniciar o desfralde;
    • garantir e respeitar a intimidade da criança: quantas pessoas trocam/põem a mão no bebê? Os momentos de ida ao banheiro são reservados? A criança se sente bem nestas situações?
    • ter respeito e paciência com o ritmo, o espírito lúdico e as etapas de desenvolvimento da criança.

♦♦♦♦♦♦♦♦♦

PARA SABER MAIS…

Leia mais sobre este tema nas postagens:
COMUNICADO FELIZ: UMA PROPOSTA DE PARCERIA ENTRE CRECHE E FAMÍLIA

CUIDADOS DE SAÚDE NA CRECHE: 10 DICAS DA PROFESSORA DE ENFERMAGEM CECILIA

DIÁLOGOS SOBRE RELAÇÕES: FAMÍLIAS E CRECHES UNIDAS NA EDUCAÇÃO I

 

1 comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.