Vivências, experiências e os tempos da criança

Vivências, experiências e os tempos da criança

Balão-Dúvida-pOs tempos da criança, do professor e da escola são os mesmos?
Existem “tempos diferentes”?

Tempo para a pesquisa da criançaPercebemos diferenças importantes nas dimensões temporais das crianças e suas brincadeiras, nos planejamentos dos professores e nos esquemas de funcionamento das creches e escolas. Conhecer e lidar com as características das diferentes demandas de TEMPO, como nas brincadeiras, na organização das rotinas e nos horários da creche e da escola, são questões que atravessam nosso dia a dia.

 

Balão-Dúvida-pPrimeiramente, o que é TEMPO?

Segundo alguns dicionários, TEMPO é a duração dos fatos, é o que determina os momentos, os períodos, as épocas, as horas, os dias, as semanas, os séculos etc.. É a ideia de presente, passado e futuro e o período no qual os eventos se sucedem.

Mas o TEMPO também pode ter seus significados na filosofia:
Os gregos, antigos pensadores da humanidade, tinham três conceitos para o tempo: cronos, kairós e áeon.

  • Cronos refere-se ao tempo cronológico, ou sequencial, que pode ser medido. Está associado ao relógio e às coisas terrenas, com um princípio e um fim.
  • Kairos refere-se a um momento indeterminado no tempo, em que algo especial acontece, o tempo da oportunidade.
  • Áeon é um tempo sagrado e eterno, sem uma medida precisa, um tempo da criatividade, da inspiração, onde as horas não passam.

Essa visão dos gregos pode explicar nosso dia a dia:

Tempo CRONOS:
O tempo do controle, é medido, vai sendo adequado. São os horários da rotina da creche e da escola: hora de entrada, hora de lanchar, almoçar, jantar e ir para a casa. É a ‘pedra no sapato” do professor que, tenso e perseguido por ele, pode se deixar desumanizar.

Tempo KAIROS:
É o tempo da relação do professor com sua turma, que planeja e organiza as sequências didáticas e projetos para perseguir as experiências e aprendizados das crianças. É o olhar observador que persegue o que de especial acontece com seus pequenos para registrar e refletir sobre as oportunidades de provocar novas pesquisas e aprendizados.

Tempo ÁEON:
Não tem medida, não é do controle, é da criação.
A duração nessa dimensão se dissolve. Essa é a dimensão da criança, que brinca e faz de conta. Não tem tempo definido. Pode levar segundos, minutos ou horas para a criança percorrer seu percurso de brincadeira, criação, pesquisas e descobertas. Você já percebeu isso acontecer?

O professor planeja as vivências e experiências para suas crianças. Ele precisa mediar o tempo áeon dos pequenos e o tempo cronos da instituição.

Balão-Dúvida-pPor que falar sobre esses conceitos?

Porque crianças só aprendem quando mergulham nas suas experiências com curiosidade e desejo de pesquisa. É nesse processo que elaboram e constroem sentidos que podem ser ligados a outros conteúdos. Isso é transformação, é aprendizado.

Tempo para expetiencia de criança

As crianças vivenciam diversas atividades durante a rotina do seu dia, podem brincar com um brinquedo, correr para lá e para cá, fazer roda, mas, se não mergulharem nessas vivências com interesse, inspiração e curiosidade, não acontecerão as transformações das experiências e os aprendizados.

escovação de dentesBalão-na-PráticaLevando essa questão para a prática, é sabido que trabalhamos com as crianças autonomia e identidade a partir dos cuidados de si mesmas.
Como esse trabalho pode realmente construir transformações?
Se as crianças simplesmente vivenciarem, por exemplo, escovar os dentes, lavar as mãos ou arrumar a sala, como algo automático, sem intenção pedagógica e desafios, os aprendizados não se processam. Do contrário, quando as crianças perseguem desafios, exploram as situações e constroem conteúdos significativos, acontece o aprender.

O tempo cronos da rotina é necessário, organizador e estruturante para as crianças. Elas aprendem a temporalidade por meio das marcas do seu dia: chegar à escola, depois ir brincar, tomar o suco e, depois do suco, brincar mais. Almoçar e, depois de comer, descansar. Brincar mais um pouco, comer novamente e ir para casa!

pesquisa de criançaÉ nessa alternância de tempos que a criança se desenvolve. As vivências tem o relógio que marca seus caminhos. Já a criança é poesia, e poesia é criação. Criação acontece no estado da inspiração. Acontece no tempo áeon. O tempo da experiência da criança é esse. O olhar sensível do professor que capta esses momentos é aquele que educa. É nessa dimensão, nesse jogo do biológico com o social e o cultural que a criança persegue experiências que lhe atravessam e provocam aprendizados.

barrinha-colorida-300x17

Balão-Para-Saber-MaisReferências:

  • Gisa Picosque – Palavras-chaves para dar contorno à prática da arte em ambiência hospitalar, 2012
  • Silvana de Oliveira Augusto – A experiência de aprender na Educação Infantil, em Salto para o Futuro, 2013
  • Jorge Larrosa – Notas sobre a experiência e o saber de experiência, em Revista Brasileira de Educação, 2002

♦♦♦♦♦

Leia mais sobre Experiências na infância nas postagens:
Arte na infância: a escola como um laboratório de experiências
Experiências de aprendizagem através da criação de cenários investigativos
Campos de experiências todos os dias!

 

7 comments

Bom dia sou coordenadora na creche e como a colega já mencionou anteriormente ,tbm tenho dificuldade qt ao sono da criança, pois onde trabalho isso acontece constantemente a cc se vê obrigada a dormir qd a mesma não quer. Gostaria de sugestões que posso levar para o grupo de professores para sanar essa dificuldade. Fico no aguardo gd abraço.

Olá, Débora. Uma sugestão para sanar essa dificuldade pode ser uma reunião de estudo com as professoras, com um levantamento inicial do que pensam sobre o assunto e a leitura e discussão do testa da postagem – Dúvida de leitora: descanso ou sono? Livre ou obrigatório? – Assim, a equipe se comprometerá com as conclusões que serão elaboradas. Abraço.

Já passei po isso, o descanso deve ser diminuído com a idade, mas procure oportunizar o momento como um aconchego, colocar uma música de ninar, escurecer um pouco o ambiente, porém seja sincera com as crianças, pois vão descansar para brincar mais depois, p ter mais energia. Comigo deu muito certo!

Eu tenho uma dúvida quanto o tempo. Percebo que na minha creche as crianças parecem não querer dormir, no entanto não encontro um teórico que fundamente a não necessidade obrigatória de dormir. Todas as crianças acabam sendo obrigadas só tempo de sono, em nenhum momento vcs falaram sobre tempo de sono e sim descanso. Gostaria de dicas de materiais para problematizar e refletir junto com a equipe.

Raphaela,
Você está com questões muito interessantes e nos estimulou a preparar uma postagem sobre esse assunto!
Em breve publicaremos um aprofundamento à sua demanda.
Grande abraço!

Obrigada pela disponibilidade! Certamente irei utilizar esse material para uma conversa com a equipe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.